Aprenda a Escolher Cortinas para sua Casa

novembro 29, 2010

Cortinas pesadas e cheias de sobreposições fazem parte do passado. Hoje, a tendência é valorizar modelos leves e bem mais simples. Ainda assim, é necessário prestar atenção a detalhes e critérios que orientam escolhas certeiras para cada ambiente. Dessa maneira, a chance de arcar com o prejuízo de uma cortina inadequada fica do lado de fora da janela.


Comece pelas medidas
- Elas são imprescindíveis para evitar perda ou sobra de material.
- Se a compra do tecido ocorrer na mesma loja em que a cortina será confeccionada, geralmente o funcionário faz o cálculo das medidas. Basta informar altura e largura da janela.
- Caso contrário, depois de tirar as medidas, multiplique o número total por dois - no caso de tecidos encorpados, como o linho. Para os tecidos finos, como voal, multiplique por três - assim a peça ganha mais volume. O resultado é o número de panos (ou alturas, no jargão dos cortineiros) que serão emendados. Importante: a quantidade de alturas define o preço da cortina.
- É indicado acrescentar, no mínimo, de 10 cm a 20 cm nas laterais da janela por questões estéticas e para garantir proteção contra luminosidade indesejada e vento.
- Isso vale também na hora de calcular o comprimento. Porém, verifique as medidas entre a esquadria, o teto e o piso. Se a distância entre a janela e o teto for menor que 30 cm, faça a cortina até lá. Caso a medida até as paredes laterais seja menor que 50 cm, é melhor cobrir toda a área. E, se sobrar menos que 30 cm entre a cortina e o piso, opte pelo modelo longo.

Acerte no modelo e no tecido

- Se a intenção é economizar, os profissionais da área indicam o modelo preso por alças feitas com o próprio tecido. Outra opção é a alça com o cabeçote liso - como uma cintura de calça comprida - colocado em um varão.
- As cortinas que mais gastam tecidos são as franzidas, especialmente o modelo com pregas americanas. E também as peças produzidas com tecidos finos, já que precisam de mais tecido para dar volume.
- É importante definir a função da cortina no ambiente para então escolher o tecido. Se o objetivo é ter luminosidade, opte por tecidos claros ou transparentes, como gaze de linho, organdi, voal e chiffon. Ao contrário, quando é necessário proteger o ambiente da luz excessiva, os cortineiros recomendam tecidos encorpados - linho puro, seda rústica, brim e lona.
- Também é possível compor um tecido mais leve com um forro (blecaute, tergal, náilon, gabardine e microfibra) para controlar a intensidade da luz no ambiente. O recurso também é usado para dar volume e bom caimento a um tecido nobre, como a seda.
Fonte: terra.

You Might Also Like

1 comentários

  1. Ana minha amiga, fico muito feliz por estar fazendo o q gosta, essa parte de cortina ja entendo, kkkk.
    Parabens querida, vou sempre fazer uma visitinha, há qd voltar terei uma decoradora, ai que chik. bjus

    ResponderExcluir

Que bom ter você por aqui!
Obrigada pela visita!

Like us on Facebook

Pinterest